Portos e Terminais: Belém | Miramar
|  Outeiro
| Vila do Conde | Santarém | Itaituba | Óbidos | Altamira | São Francisco | Marabá
Voltar Principal
Home
Menu
Informações Institucionais
»
Serviços
»
Legislação
»
Informações Operacionais
»
Editais de Licitação
»
Contatos Úteis
»
Relatório de Gestão
Acompanhamento de Gestão
Processos de Contas Anuais
Demonstrativos Contábeis
ISPS-CODE
Museu do Porto
Galeria de fotos
Links
Acesso rápido
.:
SCAP
SISPROL
Web Mail
Programação de Navios
Tábua das Marés
PDZ
Espadarte
Downloads
Informativo Docas do Pará
CIPA
PEAT - Porto de Santarém
ISMAS
Artigos
Histórico
Porto de Belém
Porto de Vila do Conde
 
Complexo Industrial Portuário de Vila do Conde
Localização Acesso Armazenagem Equipamentos Instalações
Navegação e Manobra Contato Histórico  
Localização
Latitude
1° 32’ 42" S
Longitude 48° 45’ 00" W

O Porto de Vila do Conde foi inaugurado em 24.10.85 e está localizado no município de Barcarena, no Estado do Pará, à margem direita do rio Pará, no local chamado de Ponta Grossa, a cerca de 3,3 km a jusante de Vila do Conde, em frente à baía do Marajó, formada pela confluência do escoadouro natural da navegação dos rios Tocantins, Guamá e Capim, com amplo acesso marítimo e fluvialno local .

 

 
Acesso


Acessos Rodoviários: A ligação de Belém ao Porto de Vila do Conde pode ser feita pela BR-316 até o Município de Marituba, seguindo após pela Alça Viaria até entrocamento com a PA-151 e daí para a Vila do Conde. Todo o trajeto tem 120 Km.

Acesso Rodo-fluvial: É realizada através da travessia em balsas, serviço 24 horas, até o Terminal do Arapari (10km~1h).  Desse local tomando a rodovia PA-151 até o entroncamento com a PA-483, (~22km), prosseguindo até a PA-481 (~20km), observando a sinalização precária.

Marítimo-fluvial: baía do Marajó.
Canal de Navegação: O canal de navegação vai da Vila do Conde até a foz do rio Pará com 500 metros de largura e 170km de comprimento. As profundidades variam de 13 a 15 metros.

Acesso marítimo: através do rio Pará, que deságua no Atlântico.

 
Navegação e Manobra
Carta de navegação: Carta Náutica nº 302/304 da Diretoria de Hidrografia e Navegação.

Canal de acesso: É o mesmo utilizado para chegar ao Porto de Belém, apresentando profundidades variáveis de 9,0 a 10,5m em função da maré até atingir a Ilha do Mosqueiro. De Salinópolis até Belém, embarcações levam de 7 a 8 horas, em velocidade de 15 nós (28 km/h) sob condições normais.  O ponto crítico é o banco do Espadarte a 12 milhas de Salinópolis, e em frente à costa Taipu.

Calado máximo: O recomendado é limitado pelas profundidades dos canais de acesso, quais sejam: Canal do espadarte (Baixo do Taipu): 12,20m (40,0 pés) na preamar; Canal do Quiriri: Quando demandando o porto pelo canal do Quiriri, considerando-se a velocidade do navio em 8  nós,  navios  com  calado superior a 10,70 m (35,1 pés), deverão levar em consideração a maré da hora, antes de demandar o citado canal, de forma a manter uma separação em relação ao fundo de, no mínimo, 2,28 m (7,48 pés). O porto conta com 6 berços sendo: berços externos (101,201, 301): 20,0m (65,5 pés); berços internos (102, 202,302): 16,0m (52,5 pés),  O comprimento do total do cais é de 800,00m de extensão.

 
Instalações

Amplas áreas no retroporto, com vias de tráfego asfaltadas, iluminadas, disponíveis à utilização para movimentação de cargas.

Cais de acostagem: Dispõe de instalações acostáveis configurando formato em T, com uma ponte de acesso ao píer de aproximadamente 400m, defensas fixas, píer de concreto armado e protendido, plataforma de transição entre o píer e a ponte, tendo à esquerda um píer corrido com 251m de comprimento e 45m de largura com dois berços paralelos e do lado direito, no mesmo alinhamento, outro píer, com dolfins de amarração e atracação, também com quatro berços paralelos(201/202 e 301/302), podendo receber navios de até 60.000DWT. Oferece calado com profundidade de 20m na baixa-mar nos berços externos (granéis sólidos), e 18m de profundidade na baixa-mar nos berços internos (carga geral).  O píer possui cabeços de amarração espaçados de 20m com capacidade para 90ton, quatro tomadas de alimentação  elétrica em 380/220V, 440V e hidrômetros para abastecimento de água potável de 2,5 polegadas, e rede de hidrantes do combate a incêndio.

Cais acostável: seis berços: Berço 101: 290 metros; Berço 102: 242 metros; Berço 201/202: 250 metros e Berços 301/302: 254 metros. Calado de 18 a 20 metros, reduzido na entrada do canal de acesso do rio Pará para 12,5 metros.

Píer 1 - Cais de Granéis Sólidos e Carga Geral: Com 292m de extensão e área de 13.140,00 metros quadrados, possui dois berços de atracação: berço externo (101), comprometido e aparelhado com equipamentos para movimento de bauxita (cabotagem), e berço interno 102 para exportação de alumina e importação de coque e piche (longo curso) e Carga geral, arrendado Alunorte (prioridade de atracação para os navios agenciados pela ALUNORTE) - utilizados nas plantas industriais do pólo aluminífero, Alunorte S/A e Albrás S/A;. Neste berço, também se processam as operações de Carga Geral em fluxos de exportação tais lingotes de alumínio em volumes de cargas unitizados. Em ambos os berços existem conjuntos de defensas elásticas apropriadas para receber navios de até 55.000tpb, além de pontos de fornecimento de energia elétrica (440v) e água potável, para o abastecimento de navios.

Píer 2 - Cais de Carga Geral de uso publico: Com extensão de 210 e área de 7.942,00 m2 metros quadrados, conta com dois berços, BE-201 e BE-202, dotados de defensas elásticas, onde são realizados operações de carga geral.

Píer 3 – Com extensão de 252 m e área de 8.382m2, cais preferencial para descarga de navios com contêineres.

TGL – Terminal de graneis liquido – Novo terminal de graneis líquidos, inaugurado em outubro / 2003, para descarga de navios com soda cáustica e óleo combustível. 280 metros de comprimento, dimensionado para navios de até 60.000 tpb. Equipado com uma ponte metálica de dois pavimentos com 1.309 metros de comprimento, que liga o continente ao píer. O primeiro pavimento se destina ao tráfego de carros utilitários e o segundo para posicionamento das tubovias.

 
Armazenagem

Armazém: 1 (um) coberto medindo 50mx150m, ocupando uma área de 7.500 metros quadrados. Cobertura em telhas de alumínio e dotado de instalações para escritório.
Pátio: Externo ocupa uma área de 13.000 metros quadrados e um outro para lingotes.

Área arrendadas:
Terminal retroportuário da Texaco S/A ocupa uma área de 20.000 metros quadrados, e opera na movimentação de granéis líquidos;

ALUBAR, indústria de processamento de artefatos de alumínio primário, ocupa área de 18.000 metros quadrados;

BUNGE FERTILIZANTES - Unidade de processo de fertilizantes.

Pátio de contêiner arrendado ao CONVICON, opera na movimentação de carga geral e contêineres, pontos de tomadas elétricas (440V) para contêiner  frigorífico;

Operacionalmente, o CONVICON trabalha com os seguintes equipamentos:
1 Balança rodoviária com capacidade para até 80 tons.
4 Empilhadeiras 4 tons.
2 Empilhadeiras 7 tons.
1 Empilhadeira Asa Delta 12 tons para contêineres vazios
3 Reach Stacker 45 tons.
22 Cavalos mecânicos/carretas porta conteineres
10 Cavalos mecânicos/carretas banheiras
1 Guindaste sobre rodas no Modelo MHC 130 PANAMAX  com capacidade média de movimentação de 22 conteineres por hora.

Com aquisição programada para julho de 2007 dos equipamentos:
1 MHC 130
2 Reach Stacker

O ramo de atividade que trabalhamos é de operação portuária, transportes, reparos de contêineres, armazenagem (carga geral, contêineres vazios e contêineres cheios), unitização (estufagem) de cargas em geral, especializado na armazenagem e monitoramento de contêineres refrigerados.

Área total pavimentada equivalente a 50.000 m² com mais 50.000 m² disponível para expansão, pátio iluminado, com cobertura Wirelass em toda sua área, circuito interno de monitoramento com 47 câmeras, área exclusiva para fiscalização dos órgãos intervenientes.
Capacidade atual para 3.780 teus, com mais 3.780 teus para ampliação.
Armazém coberto com 7.500 m².
Sistema totalmente informatizado para controle das operações do terminal.
50 tomadas para ligação de conteineres frigoríficos.
Podendo atingir até 400 tomadas.

Armazenagem

Dentro da área do porto: dois silos com capacidade de 10.000ton. e dois (dois) armazéns de 7.500 metros quadrados.
Fora da área do porto: 3 (três) silos de 30.000ton. para estocagem de alumina; 6 (seis) silos, sendo dois com capacidade para 7.000 ton. cada e 4 (quatro) silos com capacidade para 3.500 ton. cada, para estocagem de coque.
Pátio: 2 (dois) com capacidade de 150.000 ton. cada, para estocagem de bauxita.

A área total do Porto é de 3.920.347,00 metros quadrados

 

 
Equipamentos

Área do Píer 1:

A movimentação dos granéis sólidos (bauxita, coque, piche, hidrato e alumina) é realizada através de equipamentos modernos de propriedade das empresas Albras e Alunorte, tais como, descarregadores DN-01 e 02 e o carregador de navio CN-02, que são interligados à duas linhas de Transportes de Correia (48") com aproximadamente 5.000m de comprimento, completamente automatizado, com prancha operacional de 500ton./h para o coque, 1.500ton/h para a alumina, e 2.000ton/h para a bauxita.



Área do Píer 2:
São vários equipamentos utilizados nesta área, tais como, Guindastes 01 e 02 para movimentação de carga geral e etc, 02 Moegas, 01 Grab para descarga de fertilizantes fertilizantes,  Ship loader para minério de manganês de propriedade da empresa Buritirama.




Tabela de equipamentos
Tipos equipamentos
Qtd
Descarregador de navio DN-01 / DN-02 de Bauxita 2.000t/h
02
Descarregador Pneumático de Coque e Piche 500t/h
01
Carregador de Alumina 1.500t/h
01
Carregador Ship loader Manganês 500t/h
01
Guindastes elétricos de 12,5t
02
Empilhadeira de 3,0t e 7,0t
02
Moegas
02
   
Tratores (1CBT-1000, 1Esteira D-4)
02
Pá mecânica
01
Caçamba basculante
01
Balança para 80t
01
Balança para 120t
01
 
Veículos utilitários( 1Uno, 1Jeep, 3motos 125cc)
05
Motos Honda Biz
02

 
Contato


Administrador do Porto Francisco Eduardo Pasetto Lopes
E-mail: francisco@cdp.com.br
Supervisor do Porto Silvio Guilherme Lopes Portugal
E-mail: silvio@cdp.com.br
CNPJ 04.933.552/0009-60
Rodovia PA 481 – Km 2.3 - Barcarena/Pará
CEP.: 68447-000
Tel.: (91) 3754-1027/ 3754-1026 Fax: (91)- 3754-1176

 
Histórico

Inaugurado pela Companhia Docas do Pará – CDP, em 24 de outubro de 1985, o Porto de Vila do Conde está localizado na cidade de Barcarena, às margens da Baía do Marajó. Nesse município está implantado um distrito industrial adjacente ao porto, onde entre outros se encontra o Complexo Alumínico constituído pelas unidades da Alunorte – Alumina do Norte do Brasil S.A., Albrás – Alumínio Brasileiro S.A, Alubar – Alumínios de Barcarena S.A. e o pólo caulinífero, constituído pelas empresas Pará Pigmentos S.A e Imerys Rio Capim Caulim S.A.

Muitos fatores transformam o porto em uma eficiente ligação da região com o resto do mundo em vista de seu privilegiado posicionamento geográfico, bem como a grandes extensão de frente acostável com seus 7 berços de atracação, calado de 14 metros, fácil acesso marítimo, fluvial e rodoviário, ampla disponibilidade de áreas para expansão, reduzidos custos com manutenção e infra-estrutura (dragagem, balizamentos e cais) e a total integração entre porto e os municípios vizinhos.


 

Companhia Docas do Pará - Autoridade Portuária
Av. Presidente Vargas, 41,CEP 66010-000, Belém - Pará - Brasil Tel: (91) 3182-9000
CNPJ: 04.933.552/0001-03
E-mail:asscom@cdp.com.br